Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
MISE EN ABYME

MISE EN ABYME

Teatro & Arte | Teatro

São Luiz Teatro Municipal

Luis Miguel Cintra
Classificação Etária
Maiores de 16 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
mar
01
a
2019
mar
03
Realizado

Duração

120 minutos

Promotor

EGEAC, Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural

Sinopse

Partimos de um texto de José Maria Vieira Mendes, utilizado por Vasco Araújo como base para a construção de uma das peças que integraram a sua exposição Morte Del Desiderio, na Galeria Francisco Fino, em Lisboa, 2018. O conceito de mise en abyme começa por ser aplicado com a utilização desse mesmo texto, que aqui serve a dramaturgia do espectáculo, trazendo consigo a memória de outra peça ou filme. Importa aqui também que o texto pertença ao universo das artes plásticas, já que esse é um objecto de análise recorrente do Cão Solteiro em vários contextos.
Sobre a sua construção, escreve Vieira Mendes: Há uma ideia de desejo que assenta numa certeza no futuro. Ou seja, quando persigo o desejo, procuro satisfazer ou cumprir qualquer coisa no futuro (mais próximo ou longínquo). Essa coisa que persigo é estabelecida no presente. Isto implica olhar para o futuro como concretização de um pensamento do presente. É uma ideia de futuro que não está disponível para o imprevisto. O texto que construí, argumento cinematográfico, é uma tentativa de encontrar uma outra ideia de desejo e de relação com o futuro, que torne os
sujeitos de desejo mais disponíveis para o inesperado. Isto corresponde a uma libertação do sujeito, bem como a uma vontade (desejo) de viver o futuro que vier como um presente em construção. E a construção ficará sempre incompleta porque entretanto o presente passou.

Criação: Cão Solteiro & Vasco Araújo; Texto: José Maria Vieira Mendes; Cenografia: Vasco Araújo; Figurinos: Mariana Sá Nogueira; Ddesenho de Luz: Daniel Worm dAssumpção; Sonoplastia: Emídio Buchinho; Escultura/Cabeça: Rui Vasquez; Costura: Aldina Jesus, Rosário Balbi e Teresa Louro; Produção e Fotografia: Joana Dilão; Atores:Ana Libório, Diogo Bento, Patrícia Silva, Paula Sá Nogueira, Raimundo Cosme, Sofia Freitas Abreu, Sónia Baptista e Vasco Araújo; Voz-off: André Godinho e José Maria Vieira Mendes.

Uma Coprodução: Cão Solteiro, Maria Matos Teatro Municipal - Temporada 2017/18 e São Luiz Teatro Municipal

Partilhar

Serviços Adicionais