Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
A MATANÇA RITUAL DE GORGE MASTROMAS

A MATANÇA RITUAL DE GORGE MASTROMAS

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Viriato

Sala Principal
Classificação Etária
A classificar pela CCE
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
jul
04
Realizado

Promotor

Centro Artes Espectáculo de Viseu, Assoc. Cult. Pedag.

Sinopse

O que nos faz ser como somos? Quais são os momentos que nos definem? Em A Matança Ritual de Gorge Mastromas, Dennis Kelly escreve: A existência não é aquilo que até este momento pensaste que era. Não é honesta, não é gentil, não é justa. A maior parte do mundo não faz ideia disso, acreditam em Deus, ou no paizinho ou em Marx ou na mão invisível do mercado ou em honestidade ou bondade. Atravessam a vida de olhos fechados, a levar porrada e ser lixados. Ele é assim. Tu és assim. Mas uma ínfima parte de nós, chamemo-nos a resistência, sabemos a verdadeira natureza da vida. É-nos dado o mundo. Somos poderosos e ricos e temos tudo, porque faremos tudo o que for preciso. O resto do mundo será sempre carne para nós, gado, animais para serem pastoreados e por vezes caçados. Nós somos uma sociedade secreta: não temos apertos de mão, não temos reuniões, não vestimos fatiotas ridículas em noites de lua cheia, mas nós existimos, conhecemo-nos e, sempre que nos vemos, sorrimos e por dentro dizemos: Olha para estes idiotas. Como é que são tão estúpidos? Porque é que não fazem como nós e pegam simplesmente no que querem?

Depois de Órfãos (2017), Tiago Guedes está de regresso aos textos do dramaturgo inglês Dennis Kelly com a encenação de A Matança Ritual de Gorge Mastromas. Um texto sobre a ascensão ao poder e os dilemas morais dessa caminhada em forma de conto moral incendiário.

Ficha Artística

Texto original Dennis Kelly

Encenação Tiago Guedes

Com António Fonseca, Beatriz Maia, Bruno Nogueira, José Neves, Rita Cabaço, restante elenco a confirmar

Cenário Fernando Ribeiro

Desenho de luz Nuno Meira

Coprodução Pueblozito, Teatro Nacional D. Maria II e Teatro Viriato

-
Partilhar
Revista Boa União 4
Estojo porta-lápis
Pólo Teatro Viriato - Homem
Pólo Teatro Viriato - Homem CAE Viseu - A.C.P. 100% Algodão penteado • gola e parte inferior das mangas em canelado • fita de reforço na gola Estilo : CLÁSSICO Mais Info Comprar
Pólo Teatro Viriato - Senhora
Pólo Teatro Viriato - Senhora CAE Viseu - A.C.P. Pólo piquet • 100% Algodão penteado • gola e parte inferior das mangas em canelado • fita de reforço na gola Estilo : FEMININO Corte justo- Carcela com botões da mesma cor - corte direito na parte inferior do artigo com aberturas laterais - cortado e cosido Mais Info Comprar
Revista Boa União 2
Revista Boa União 1

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Estojo porta-lápis

Merchandising

CAE Viseu - A.C.P.

Pólo Teatro Viriato - Homem

Merchandising

CAE Viseu - A.C.P.