Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
BARRO Terra molhada onde a bota escorrega

BARRO Terra molhada onde a bota escorrega

Teatro & Arte | Dança

Casa das Artes Famalicão

Grande Auditório
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2019
abr
27
Realizado

Duração

60 minutos

Abertura Portas

21:15

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Município de Vila Nova de Famalicão

Breve Introdução

BARRO Terra molhada onde a bota escorrega
Dança
27 de abril, sábado, 21:30
Grande Auditório
Entrada: 8 euros / Estudantes e Cartão Quadrilátero Cultural: 4 euros
M/6 anos
Duração: 60 minutos

COMEMORAÇÕES DO DIA MUNDIAL DA DANÇA

Criação de Mafalda Deville para a Companhia Instável, com música dos Drumming


Um projeto de dança e percussão para 6 bailarinos, uma Banda Filarmónica (local) e 20 a 50 elementos das comunidades locais. Um espetáculo inspirado no Barro Negro de Bisalhães (Património da Unesco)
Pela água, pelo fogo, pelo tempo, pelas mãos. São corpos que moldam e são moldados. Que questionam na sua existência, no seu estado, na relação com os outros- a si próprios. A solidão da eternidade das pedras cravadas na terra. O festim da descoberta. Memórias e sonhos ressoam, na caixa do tempo, onde o passado e o futuro nem sempre se sucede por esta ordem. Pela água, pelo fogo, pelas mãos. O corpo, matéria mutável, da lânguida sedução à catástrofe do caco. Tudo a preto e a vermelho. Como na roleta, os corpos entram no jogo.
Mafalda Deville

Direção Artística: Mafalda Deville
Coordenação e composição musical: Rui Rodrigues / Drumming
Interpretação e consultoria musical: Drumming
Assistência artística: Ricardo Machado
Cenografia e Vídeo: Israel Pimenta
Direção técnica e Desenho de luz: Ricardo Alves
Intérpretes: Beatriz Valentim, Duarte Valadares, Michael de Haan e Sabrina Gargano
Estagiários à interpretação: Liliana Barros e Inês Ribeiro
Intérpretes da comunidade local: 20 a 50 homens e mulheres entre os 20 e os 50 anos
Uma encomenda dos Teatros Municipais de Vila Real e Bragança, no âmbito do projeto Algures a Nordeste
Produção Executiva: Rita Santos
Coprodução: TEATRO MUNICIPAL DE VILA REAL / TEATRO MUNICIPAL DE BRAGANÇA / COMPANHIA INSTÁVEL

Barro its performance by Companhia Instável, contemporary dance with music of Dumming, with the participation people from the local community.

Partilhar
Quadrilátero