Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Mark O'Rowe - Os Nossos Dias Poucos e Desalmados

Mark O'Rowe - Os Nossos Dias Poucos e Desalmados

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Carlos Alberto

Sala Principal TeCA
Classificação Etária
Maiores de 14 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2019
nov
21
a
2019
nov
30
Realizado

Duração

140 minutos

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Teatro Nacional São João E.P.E.

Breve Introdução

Se eu falo nisso, as coisas entre nós mudam para sempre. Entramos na idiossincrática ORowelândia pela sua penúltima peça, Os Nossos Dias Poucos e Desalmados (2014), numa encenação de João Cardoso. No percurso de Mark ORowe, este texto rompe um hiato de sete anos desde Terminus (2007), período em que o dramaturgo se dedicou a adaptações de Shakespeare e Ibsen e à escrita de argumentos para televisão e cinema. O monólogo como máquina de narração e rememoração, tão caro a ORowe nas peças anteriores, dá aqui lugar a uma simétrica e concatenada sucessão cronológica de seis cenas, igualmente distribuídas por dois atos, com um prólogo e um interlúdio. A potência da contracena e a cadência dos diálogos que as animam, curtos e naturalistas, sobrepostos ou truncados, é um dispositivo de desnudamento de um passado que consome as personagens. Em vez da torrente de palavras de outrora, a linguagem é agora quase ascética. É que há um segredo funesto a assombrar a família-protagonista de Os Nossos Dias Poucos e Desalmados, cujos contornos se desenham por detalhes, pausas, silêncios, como num puzzle. Com um lastro cinematográfico na forma como suspende cada cena, trabalha as elipses e os fundidos a negro, este drama familiar sobre a culpa, o sacrifício e o amor tem a claustrofobia de um thriller psicológico percorrido por uma tristeza palpável. Porque é que não me amas?

Preços

Plateia: 10,00€

Transportes Públicos

Elétricos 18, 22
Autocarros 200, 201, 207, 300, 302, 304, 305, 501, 601, 602, 703, 904
Metro do Porto - Estações Aliados, Bolhão, Trindade, São Bento

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

U

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Carlos Alberto

Sala Principal TeCA

Um Plano do Labirinto

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Carlos Alberto

Sala Principal TeCA