Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Afogada na tua vergonha

Afogada na tua vergonha

Teatro & Arte | Teatro

Teatro Comuna

Sala NovasTendências
Classificação Etária
Maiores de 16 anos
Bilhete Pago
A partir dos 10 anos
2019
nov
15
a
2019
dez
01
Realizado

Duração

90 minutos

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Oficinas Teatro Lisboa

Breve Introdução

Uma sociedade que vive ou sobrevive, consome e consome-se vorazmente, afogando o discernimento. Vive-se no mundo que todos têm razão, mas ninguém ouve, falam todos ao mesmo tempo, afogando a compreensão. Vive-se o belo, o intenso, o frio, o plástico, o frívolo, que de carne e sangue quase nada tem, padroniza-se uma humanidade na qual emergem incongruências, lacunas e carências. E depois? A depressão, os conflitos, a autodestruição...

Sinopse

Afogada na tua vergonha mostra como o ser humano é manipulado pela sociedade, se não seguir opções maioritárias, restando-lhe então a vergonha, quando se apercebe de que não é totalmente livre ou quando se apercebe de que a liberdade também acaba por impor limites, mas ao mesmo tempo, mostra a ausência de culpa das personagens. Neste espetáculo, os atores submergem numa espiral de tensão interior, são duas mentes distorcidas que se confrontam num universo obsessivo, criando um frenético exercício esquizofrénico, são duas personagens dilacerantes que vivem num jogo esquizofrenicamente perverso.

Ficha Artística

Dramaturgia, versão cénica, cenografia,
desenho de luz, efeitos/musicais sonoros: João Rosa
Referências musicais: Bauhaus e Joy Division
Arranjo musical: Nuno Pinto
Baseado em: Sarah Kane e Roberto Corte
Interpretes: Catarina Gonçalves e Eduardo Frazão
Apoio à performance: Fábio Ramos
Fotografia cena: Carlos Almeida
Vídeo: OTL Filmes
Secretariado e apoio à produção: Sara Porto

Encenador

O ponto de partida para este espetáculo é o estimulo à discussão sobre as relações humanas. Os conflitos, os jogos de poder e a igualdade de género são só alguns aspetos questionados nesta proposta. Não procuro respostas, nem tenho soluções, tenho sim, inquietações e questionamento.

-
Partilhar

Serviços Adicionais