Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Processo de Camilo Castelo Branco

Processo de Camilo Castelo Branco

Formação & Educação | Diversos

Dir. Municipal da Cultura

Ciclo
Classificação Etária
Para todos os públicos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2019
out
12
Realizado

Duração

60 minutos

Promotor

Câmara Municipal do Porto

Informações Adicionais

Resposta do júri aos quesitos: O crime de que o réu Camilo Castelo Branco é acusado no Libelo do Ministério Público e da parte acusadora, de ter cometido adultério com a co-ré D. Ana Augusta Plácido, casada com Manuel Pinheiro Alves, está ou não provado? Não está provado, por maioria. A circunstância atenuante do seu bom comportamento anterior, está ou não provado? Está provado por maioria. Sentença: Em vista da decisão do júri, julgo não provado o crime de adultério de que era acusado Camilo Castelo Branco o absolvo da culpa, dando-se baixa nele, e passando o seu mandado de soltura, e pague o A. as custas do processo. Porto, 16 de outubro de 1861. Assim termina o atribulado processo judicial por cópula com mulher casada, um dos mais conhecidos mas talvez mal conhecidos episódios da vida de Camilo Castelo Branco (1825-1890), romancista maior, mas também poeta, cronista, crítico, dramaturgo e tradutor. Os termos processuais que o levaram à Cadeia da Relação (onde esteve preso um ano e 16 dias e Ana Plácido um pouco mais) são o tema do debate entre o escritor Carlos Querido e um historiador de arte familiar de Camilo, Manuel Morais Sarmento Pizarro, na semana em que se assinalam 158 anos desta absolvição, no Museu Judiciário que tem no seu espólio este processo.

Local:
Museu Judiciário do Tribunal da Relação
Palácio da Justiça
Campo dos Mártires da Pátria
4099-012 Porto

Preços

Participação gratuita mas limitada à lotação indicada para cada sessão. Garanta o seu lugar, levantando semanalmente bilhete (máximo dois por pessoa) nos locais habituais.

Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Uma casa de madeira – A Construção da Cidade

Formação & Educação | Diversos

Dir. Municipal da Cultura

Percursos Culturais