>

Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala

Heidi, a menina sonhadora!

05-12-2019

A história da rapariga que vivia nos Alpes com o seu avô, escrita no séc. XIX, encantou gerações ao longo de várias décadas e está em cena no Teatro Armando Cortez. Leia aqui toda a entrevista sobre esta grande produção!

Heidi, a menina sonhadora!

HEIDI

O que vai passar-se em palco nesta nova produção do TIL? 

Os espectadores podem esperar um notável contraste entre a pureza das montanhas e uma grande cidade. A docilidade, inocência e humor são alguns dos "segredos" em palco, valores essenciais muito bem representados por “Heidi” que vão transformar corações.


Quarenta e três anos depois, o TIL continua a impressionar. Vão voltar a fazê-lo com “Heidi”? 

A equipa trabalha sempre nessa direção e o resultado é comprovado por quem nos visita.

 

Apesar de ser uma adaptação do livro de Johanna Spyri, o público vai encontrar muitas semelhanças com a história original?

A essência da história mantém-se, a forma como se conta é que é diferente. E lá diz o provérbio: “Quem conta um conto acrescenta sempre um ponto...” 

 

Todos nos apaixonámos pela história da Heidi. Qual é o “carimbo” do TIL nesta história?

Para além de ser uma versão musical, com música original de Quim-Tó, como é apanágio do TIL, as expressões artísticas impressas no trabalho criativo, mantendo o fio condutor da história original, levam o espectador, seja ele criança ou adulto, a absorver toda a verdade imaginária. 


Esta é uma peça emocional. Uma vez que se dirige essencialmente a um público infanto-juvenil, como conseguiram aligeirar o dramatismo inerente à história descrita por Spyri?

A carga dramática da autora da história, Johanna Spyri, está presente na nossa versão. Apenas é momentaneamente “pincelada” por momentos de humor, bem característicos do TIL, cujo texto é assinado por Ana Saragoça. 


Além da Heidi, quais são as personagens mais marcantes interpretadas pelos atores do TIL?

Todas as personagens espelham algo em que o espectador se irá identificar, é um processo individual. Cada um escolhe o seu herói e ele continuará vivo mesmo depois da cortina se fechar. 


Quais as principais diferenças entre ensaiar uma peça infantil e ensaiar uma peça para adultos?

Não acreditamos em teatro para adultos ou teatro para crianças. Acreditamos, sim, em teatro! Os profissionais das artes e o público merecem esse desvinculo. As histórias que se contam têm um público alvo mas o processo de trabalho é igual.

 

Maria João Vieira 

Direção TIL

Partilhar