Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Cátia Sá — Lançamento

Cátia Sá — Lançamento "Da Barriga"

Música & Festivais | Concerto

Galeria Zé dos Bois

Galeria
Classificação Etária
Maiores de 16 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2020
mar
06
Realizado

Duração

180 minutos

Intervalo

Intervalo 15 min.

Promotor

Associação Zé dos Bois

Sinopse

Voz singular e hábil numa feliz (des)construção linguística, Cátia Sá é um fenómeno. Vimo-la a dar a volta à pop de vistas panorâmicas com a sua banda Guta Naki, com justo reconhecimento, ainda que curta vida. Participou igualmente no álbum Língua, de Octa Push, um dos mais celebrados do duo lisboeta. E por fim, chegados a 2020, nova década e novo milénio, parece que o ano também traz nova vida para a cantora e compositora que agora edita "Da Barriga", primeiro álbum em nome próprio.

Recorrendo a uma abordagem bem mais exploratória que nos projectos anteriores, a natureza quase amazónica da sua música revela-se plena de potencialidades. Cria brechas num tecto substancialmente urbano, sustentado em loops e esboços de batidas resgatadas à memória da dancehall ou grime. Meras impressões ou simples pistas para expressar talvez um pouco o viveiro sonoro que felizmente parece não assentar num formato estanque.“Deusa da Poda” foi uma das canções mais fortes a surgir nos últimos anos por cá, um brilhante exercício de semântica e ritmo, oferecendo algo que definitivamente parece fazer avançar a música cantada em português (um caminho já trilhado por B Fachada, Aquaparque ou Calhau!). As estórias oníricas que partilha revelam-se numa benigna febre tropical que toma conta deste conjunto de temas fora deste mundo e deste tempo. Da forma aquosa com que cada elemento flui até à importância do respiro e do silêncio como pontuação, paira um teor genuinamente orgânico, ainda que as estruturas sejam alimentadas por máquinas analógicas e digitais. Pelo meio, as melodias hipnotizantes que reinam e um espectro sónico que não esconde uma beleza exótica implícita no processo. Processo esse em constante movimento. NA

Abertura de Portas

21h00

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda:

Luís Severo (banda)

Música & Festivais | Concerto

Galeria Zé dos Bois

Galeria

CONSUBSTANTIATION de Dinis Machado

Teatro & Arte | Dança

Galeria Zé dos Bois

Galeria