Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Concerto de Câmara - 24 abr 2021

Concerto de Câmara - 24 abr 2021

Música & Festivais | Concerto

Teatro Nacional S. Carlos

Salão Nobre
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
Todas as Idades
2021
abr
24
Realizado

Duração

60 minutos

Promotor

OPART - Organismo de Produção Artística, EPE

Breve Introdução

TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS
24 abril de 2021, 11h
Salão Nobre

Wolfgang Amadeus Mozart, Concerto nº 2 em Mib Maior para trompa e orquestra K.417
Franz Schubert, Sinfonia n.º 5 em Si bemol Maior D. 485
Aaron Copland, Concerto para Clarinete

Cândida Oliveira (Clarinete)
Paulo Guerreiro (Trompa)
José Eduardo Gomes (Direção Musical)
Orquestra Sinfónica Portuguesa

O Concerto em Mi bemol Maior K. 417 de Mozart, o segundo da série de quatro concertos para
trompa e orquestra, foi terminado em 1783, dez anos antes da abertura do Teatro de São
Carlos. É o único dos quatro concertos a ter trompas em ripieno, isto é, trompas não solistas
incluídas na orquestra.
A Sinfonia n.º 5 de Schubert teve a primeira audição pública em Viena apenas em 1841, treze
anos após a morte. Fora composta em 1816 e nela Schubert sintetizou a sua linguagem clareza formal, riqueza contrapontística, transparência de orquestração, além da habitual
riqueza melódica e assumiu o modelo mozartiano. O compositor vivia então um período de
grande entusiasmo pelo autor de D. Giovanni. No seu diário desse ano de 1816 escreveu:
Mozart! Imortal Mozart! Como soubeste imprimir nas nossas almas impressões de uma vida
mais luminosa e melhor!.
O Concerto para clarinete de Copland foi escrito entre 1947 e 1949 e surgiu por encomenda do
conhecido clarinetista de jazz Benny Goodman, que viria a tocar o concerto várias vezes (e a
gravá-lo) sob a direção de Copland; este, aliás, considerava a gravação que os dois fizeram do
concerto o seu melhor registo de sempre. A obra depressa se estabeleceu no repertório de
todos os grandes clarinetistas. Copland, naturalmente, incorporou muitos elementos do
universo do jazz neste concerto: o final, uma coda que termina com um glissando do clarinete,
é uma óbvia homenagem.

Informações Adicionais

Ao adquirir os seus bilhetes, agradecemos que tenha em conta as regras de circulação associadas ao seu concelho da área de residência.

O Teatro Nacional de São Carlos cumpre as recomendações e as regras de segurança emanadas pela Direção-Geral de Saúde e encontra-se certificado pela Inspeção-Geral das Atividades Culturais com o selo "Clean and Safe".

Uso obrigatório de máscara.

As datas e horários dos espetáculos poderão ser alterados, em resultado de medidas de combate à COVID-19 que o Governo ou as autoridades de saúde possam vir a decretar.

As atualizações serão comunicadas nos nossos canais digitais:
www.saocarlos.pt
https://www.facebook.com/SaoCarlos'>https://www.facebook.com/SaoCarlos
'https://www.instagram.com/saocarlos1793/'>https://www.instagram.com/saocarlos1793/

-
Partilhar

Serviços Adicionais

Veja ainda: