>

Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala

Entrevista sobre a Biodanza

14-06-2018

O que é Biodanza? por Geane Bonfim

Entrevista sobre a Biodanza

Geane Bonfim

1. O que é Biodanza?

É um poderoso sistema de desenvolvimento humano evolucionário, fundado na década de 60, pelo psicólogo chileno Rolando Toro. Poderoso, no meu sentir, porque toca níveis profundos da identidade, favorecendo mudanças notáveis no estilo de vida em relativamente pouco tempo. É uma das atividades mais completas que já conheci. Contribui para a evolução do ser humano vendo-o de forma holística. Propõe desenvolver potenciais latentes a nível motor, expressivo, individual, relacional, emocional, espiritual, de forma integrada.

Na sua definição a Biodanza é um sistema de integração humana, de renovação da vitalidade e de reeducação afetiva. Segundo Rolando Toro, é também uma reaprendizagem da sensação ancestral de estarmos ligados à vida e fazermos parte de um universo vivo e dinâmico. Essa sensação de pertencer a tudo que está vivo foi perdida em nossa cultura.

O sistema Biodanza inaugura uma forma de acesso, extremamente profunda, ao conhecimento de si, do outro e da vida. Fundamenta-se em um modelo teórico-operacional de base transdisciplinar que tem como referências a Biologia, a Arte e as Ciências Humanas. A sua metodologia consiste em induzir vivências integradoras através da música, do canto, do movimento e situações de encontro em grupo.

Desta base transdisciplinar mencionada, destaco a:

Motricidade – Reabilitação motora, categorias de movimento, níveis de integração motora, afetivo-motora, sensitivo-motora; dimensão afetiva do movimento;

Psicologia – Abordagem ampla do ser humano segundo autores como Freud (inconsciente, repressão, mecanismos de defesa, pulsão e civilização) Jung (inconsciente coletivo, arquétipo, mito), Reich (corpo, couraça, carater), Roger’s (facilitador, potencialidade, empatia) e da psicossomatica (emoções e órgãos)

Sociologia, Antropologia, Filosofia – Visão integral do homem como ser histórico e em construção permanente em sua dimensão relacional, ecológica e cósmica.

Fisiologia – Equilíbrio da balança neuro-vegetativa (Simpático-adrenérgico e parassimpático-colinérgico), ativação dos mecanismos de auto-regulação intra-orgânica (renovação e reparação celular), efeito ansiolítico e anti-stress, diminuição dos sintomas psicossomáticos decorrentes do estilo de vida, efeito profilático.

Educação/Pedagogia – Aprender a viver, reaprender a conexão com a vida, reaprendizagem das funções originárias de vida, inteligência afetiva, aprender a ser, vínculo com a natureza.

 

2. A quem se destina essencialmente?

Destina-se a qualquer pessoa, independentemente de raça, idade e gênero.
A Biodanza é aplicada para crianças, jovens, adultos e idosos. Nas áreas da educação, saúde, em empresas e organizações.

 

3. Porque razão estas aulas só podem ser frequentadas por maiores de 18 anos?

Neste caso, porque o meu grupo é direcionado para adultos. Mas tenho colegas facilitadores com grupos de crianças, jovens e idosos.

 

4. É verdade que a forma como nos movimentamos pode aumentar a nossa autoestima? Porquê?

Sim, exatamente.
O corpo é a expressão existencial. A maneira como nos movemos diz muito sobre a nossa auto-confiança e a nossa auto-estima, sobre a sensação de poder que temos ou não.

Rolando Toro sistematizou no modelo-teórico da Biodanza um conjunto de distintos aspetos do movimento corporal, como por exemplo, o movimento intencional controlado, o movimento espontâneo, os automatismos, a postura, relacionando-os com uma visão holística do ser humano. Ao trabalhar com o centro afetivo-motor que integra a motricidade às emoções, a Biodanza abarca diversos aspetos do movimento corporal que incluem fatores complexos como a atitude existencial, a autoestima, a função do vínculo.

É bom lembrar que nosso corpo, mente e espírito estão sempre em diálogo. Se fizermos determinados movimentos, podemos alterar determinados sentimentos a cerca de nós mesmos, do outro e do mundo. Não há mudança do estilo de vida, nem evolução sem mudança do esquema corporal.

Estes conjuntos de movimentos referidos acima, estão relacionados de forma coerente no sistema Biodanza, com base em conhecimentos biológicos, antropológicos e psicológicos.

Isto confirma-se com as recentes pesquisas científicas da psicóloga social Amy Cuddy que afirma que a linguagem corporal pode mudar a maneira como nos vemos. Amy reuniu evidências científicas sobre de que forma os gestos e movimentos que fazemos, a forma como sentamos, como dormimos e como respiramos diz muito sobre quem somos e o que queremos ser. Ela alega que “fazer poses de poder”, ficar numa postura confiante, mesmo quando não nos sentimos confiantes, pode estimular sentimentos de confiança e pode ter um impacto nas nossas chances de sucesso.

Já na década de 60 Rolando Toro, fundador da Biodanza, falava nisso a cerca desse aspeto do movimento, da postura. Segundo ele a forma como nos movemos diz muito sobre a maneira como estamos na vida.

A Biodanza propõe integrar o ser humano, trabalhando todos os aspetos do movimento nas suas relações de complexidade e unidade, desenvolvendo categorias de movimento como ritmo, potência, controle intencional, resistência, coordenação, equilíbrio, sinergismo, elasticidade, extensão, agilidade, leveza, flexibilidade, fluidez, eutonia, expressão, eurritmia, melodia, reciprocidade, sincronização.

A postura corporal é o resultado de um longo processo de relação com o mundo. É um modo de encarar a vida. Os exercícios de Biodanza melhoram a postura na medida em que melhora o estilo de vida, a perceção do mundo e a autoestima.


5. Qual é a importância de sabermos escutar/compreender o nosso corpo?

O corpo é expressão existencial. Somos o nosso corpo. Escutá-lo é tornar-se mais saudável. Reich dizia que o nosso corpo é o nosso inconsciente visível. É nessa premissa que pomos o corpo a mexer em Biodanza. O movimento, a postura e as expressões reforçam a consciência de si.

A civilização atual, considerada racional e objetiva, nos roubou a vivência plena dos nossos sentidos, a vitalidade, a afetividade e até mesmo uma espiritualidade mais enraizada. Com os estímulos culturais, muitas vezes anti-vida, pensamos uma coisa, sentimos outra e agimos de forma completamente diferente. Essa dissociação é a causa de muitas doenças psicossomáticas geradoras de mal-estar. Despedaçados, desconectados, ficamos suscetíveis a doenças como a depressão, o stress, e as desarmonias angustiantes de conflitos afetivos que tomam a forma de sintomas corporais, por vezes mortais.

Nós temos no corpo uma sabedoria genética milenar, um programa biológico ligado a mesma força que guia a criação do universo. Rolando Toro define como funções originárias de vida os instintos. Aprender a escutar o corpo é um dos aspetos da Biodanza para resgatar no próprio estilo de vida uma coerência com estes impulsos inatos, que é uma forma natural de responder harmoniosamente às necessidades orgânicas, para manter a saúde.


6. Que retorno costuma ter das pessoas que experimentam pela primeira vez uma aula de Biodanza?

Vê-se nitidamente a diferença da expressão antes de aula e depois. Elas demonstram gostar muito quando se dirigem a mim ao fim da aula. Sentem-se bem e vê-se no brilho dos olhos, na boa disposição, no sorriso. E muitas vezes voltam, e integram o grupo.


7. Qual a periodicidade com que se deve praticar Biodanza para que os efeitos se façam sentir no nosso dia a dia?

A Biodanza deve ser praticada uma vez por semana de forma regular. Como várias práticas de desenvolvimento humano, não tem um fim. Eu mesmo pratico há 20 anos e seguirei praticando porque me faz sentir bem, renova as forças, conecta-me à vida. O dia a dia facilmente nos rouba o equilíbrio, a harmonia, alegria de viver. As aulas de Biodanza são estímulos positivos para se viver a vida de forma mais saudável, integrada e feliz. Com apenas uma aula pode-se sentir o impacto das vivências de forma notável. Mas vai depender de pessoa para pessoa. Segundo estudos feitos, entre três a seis meses já se pode identificar mudanças no estilo de vida e comportamentais.


8. Que efeitos são esses?

A Biodanza produz os seus efeitos através do corpo mais do que através do pensamento. São efeitos profiláticos, anti-stress, anti-depressivo e ansiolítico. Atua diretamente no cérebro emocional através da música, do movimento e das emoções, favorecendo a expressão da alegria, sensações de bem-estar, aumento da motivação para viver, harmonia orgânica, aumento da confiança, da autoestima, da coragem de viver. Com a prática regular de Biodanza, as pessoas desenvolvem potenciais humanos inatos com as suas capacidades relacionais, vitais, sensuais, criativas, afetivas e transcendentes.


"Tua dança é a revelação voluptuosa de teu mais íntimo mistério.
Tua versão pessoal da origem do mundo". Rolando Toro

Partilhar