Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Amélia Muge

Amélia Muge

Música & Festivais | Concerto

Cine-Teatro Garrett

Sala Principal
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 3 anos
2018
mai
11
Realizado

Duração

75 minutos

Abertura Portas

21:00

Intervalo

Sem Intervalo.

Produtor

Uguru II Produções, Unipessoal Lda

Sinopse

Com o passo das árvores
Aqui estamos.

Sempre me fascinaram os pés das árvores. Alguns, são quase um pé perfeito. As árvores andam. A sua forma de andar é ramificando, ramificando sempre, para cima e para baixo. Raíz ou ramo, ramo ou folha, numa simetria irregular, mais aberta ou mais fechada, no seu ramificar é que está a possibilidade de respirar.
Encontro nessa imagem de ramificação o equivalente ao pulmão. Ao cérebro. Ramificar, respirar, é uma forma de andar. É comunicar, diversificar, processar a informação vivida. (Amélia Muge)

Será uma canção apenas um tempo de estar que se vai ramificando? Será tão indefinível quanto passível de ser pensada em várias dimensões? Poderá ser repensada e acolhida no diverso de outros momentos, outros músicos e arranjos, outras linguagens e matérias, outras partilhas? Poderá transfigurar-se na interacção que uma sequência propõe, como narrativa cujo nexo é sempre mais do que ouvir canções umas atrás das outras?

Aqui estamos.
Num passeio pelo carreiro da floresta que guarda as memórias de infância, as referências lunares, os objectos da terra e do céu, as águas das chuvas, dos mares, dos rios.
Num passo que emparceira, no mesmo tronco, galhos de cansaço, desencontro, escuridão, com os pontos luminosos da alegria, os horizontes da esperança, o ronronar dos gatos, o olhar dos bichos, as florestas de ébano, os ecos devolvendo paisagens interiores. Tudo, neste passo, nos ajuda a respirar.

Aqui estamos.
Com o passo das árvores a responder que sim: que também a canção é uma árvore que precisa dos ramos do diverso para respirar. Respiremos pois no diverso generoso deste espaço.
Como ramos ao vento, passo a passo, respirando com os sentidos, as temáticas, as narrativas, as melodias.
Porque único e irrepetível (não está ligado ao lançamento de nenhum CD) vai "criar raízes" em quem assistir e dessa forma se moverá, com o passo das árvores no passo da gente.

Ficha Técnica:
Voz, Braguesa, Percussão, Videos, Cenário, Guião : Amélia Muge
Piano preparado, melódica, voz: Filipe Raposo
Captação sonora: José Martins, Sheu
Interacção instrumental, projecção de imagens: José Martins
Ambientes luminosos: José Raposo
Co-produção: José Martins, Cine-Teatro Garrett
Produção: UGURU

Partilhar
FIMPV/2018

Serviços Adicionais

Veja ainda:

RODRIGO LEÃO - "O ANIVERSÁRIO"

Música & Festivais | Concerto

Coliseu de Lisboa

Sala Principal

Harlem Gospel Choir

Música & Festivais | Música

Teatro das Figuras

Grande Auditório