Bem-vindo à BOL. O nosso site usa cookies e outras tecnologias para personalizar a sua experiência e compreender como você e os outros visitantes usam o nosso site.
Para ver uma lista completa das empresas que usam estes cookies e outras tecnologias e nos informar se podem ou não ser utilizadas no seu dispositivo, aceda à nossa página de política de cookies.

Concordo
Distrito Sala
Detalhe Evento
Janusz Prusinowski Trio Harmonia Polska

Janusz Prusinowski Trio Harmonia Polska

Música & Festivais | Concerto

Teatro Cine Torres Vedras

Teatro Cine
Classificação Etária
Maiores de 6 anos
Bilhete Pago
A partir dos 6 anos
2019
nov
08
Realizado

Duração

70 minutos

Intervalo

Sem Intervalo.

Promotor

Câmara Municipal de Torres Vedras

-
Partilhar
Um pouco mais de azul, um pouco mais de vento
Um pouco mais de azul, um pouco mais de vento C. M. Torres Vedras Neste livro pretende-se evocar a evolução de uma sociedade e dar a conhecer as sucessivas mudanças registadas na paisagem e no quotidiano das pessoas que estiveram em contacto com os rios Alcabrichel e Sizandro e respectivos afluentes. O trabalho de campo que foi realizado com pescadores, vendedores da lota, lavadeiras e mestres de barcos, enriqueceram a documentação que permitiu criar esta publicação. Desde pescadores, barcos, redes, passando por outros utensílios da arte, até à gestão da água, às actividades de lazer, aos impactos da construção urbanística, não esquecendo nunca o início com o Castro do Zambujal, de tudo isto se trata nesta publicação. Mais Info Comprar
réplica em xisto (10euros)
réplica em xisto (10euros) C. M. Torres Vedras Ídolos-placa, de xisto. 3º milénio a.C. Recriação a partir de modelos das antas alentejanas (Distritos de Évora e Portalegre) Mais Info Comprar
S. Gonçalo de Lagos
S. Gonçalo de Lagos C. M. Torres Vedras referências hagiográficas e cromísticas, a vida e Gonçalo de Lagos Mais Info Comprar
Um país silencioso; uma história das Linhas de T.
Um país silencioso; uma história das Linhas de T. C. M. Torres Vedras Título: Um país silencioso uma história das Linhas de Torres. Autor: Carlos Guardado da Silva & Daniel Silvestre Silva CMTV 2010 Mais Info Comprar
Batalha Reis no Turcifal
Batalha Reis no Turcifal C. M. Torres Vedras Titulo: Batalha Reis no Turcifal Autor: Andrade Santos. Edição:CMTV/Gabinete Estudos Torrenses.- Tipografia União Data: 1993 Mais Info Comprar
H14 - Torres vedras no Reinado de Filipe II
H14 - Torres vedras no Reinado de Filipe II C. M. Torres Vedras O lançamento deste livro integrou-se no Programa das comemorações dos 30 anos de elevação de Torres Vedras a cidade. "Entre 1581 e 1598, 232 moradores de Torres Vedras foram perdoados por Filipe II, Rei de Portugal, da prática de diversos crimes (...). Estes documentos revelam-nos uma vila de Torres Vedras extremamente violenta, o que é normal face aos padrões da época. Um outro aspecto é o da ruralidade, visível, por exemplo, quando se caçava e se pescava em meses proibidos, quando gados provocavam danos em terrenos alheios, ou ainda quando acontecia a maior parte dos casos de roubo, furto e fogo posto. Autor: Paulo Drumond Braga Data de edição: Fevereiro 2009 Mais Info Comprar
H12 - As Linhas de Torres Vedras
H12 - As Linhas de Torres Vedras C. M. Torres Vedras O Memorando de Wellington para Fletcher, de 20 de Outubro de 1809, mandava reconhecer o terreno e fortificar os pontos mais convenientes e defensáveis, visando a construção de um conjunto de fortificações construídas secretamente, que viria a chamar-se de Linhas de Torres Vedras. A Câmara Municipal, numa co-edição, lança este livro da autoria de André Melícias, um estudo fundamental para a compreensão do pensamento estratégico-militar, assim como dos diferentes projectos de construção deste sistema defensivo, determinante na defesa de Portugal frente à terceira invasão. Autor: André Filipe Vítor Melícias Data de edição: 2008 Mais Info Comprar
Turres Veteras XII - As Linhas de Torres Vedras
H6 - As ideias polít. e soc. de Henriques Nogueira
H6 - As ideias polít. e soc. de Henriques Nogueira C. M. Torres Vedras Um notável estudo de Vítor Neto, especialista sobre o pensamento de Henriques Nogueira, que integra no contexto europeu da história das ideias, enquanto percursor do republicanismo e do socialismo, teórico do iberismo, teórico do federalismo dos Estados hispânicos, federalista, adepto do associativismo e do cooperativismo e defensor do municipalismo como forma de descentralização administrativa. Autor: Vítor Neto Data de Edição: 1999 Mais Info Comprar
H5 - São Gonçalo de Lagos
H5 - São Gonçalo de Lagos C. M. Torres Vedras A organização cultural de identidades locais e regionais é quase sempre um preocesso longo e complexo que reúne diferentes estratégias políticas e simbólicas. Muitas vezes são as figuras referenciais de santos que, com as suas atracções culturais e devocionais, se convocam para organizar identidades locais. Nesta obra é possível conhecer a história de S. Gonçalo de Lagos, padroeiro da Cidade de Torres Vedras e compreender as suas funções sociais e culturais na definição de estruturas identitárias desta cidade. Autor: Jorge Gonçalves Guimarães Data de Edição: Outubro de 2004 Mais Info Comprar
A árvore que queria ter passarinhos
A árvore que queria ter passarinhos C. M. Torres Vedras Autor: Ana Meireles » Ilustração de Catarina Sobreiro Sinopse: Se eu escrevesse uma história começaria assim: Era uma vez uma árvore bem pequenina, que vivia plantada num pobre vaso, esquecida numa varanda onde o sol não era nada fácil de encontrar e onde o vento ocupava todos os espaços, mesmo os mais pequeninos e escondidos.” Data de edição: 2006 Edição: Câmara Municipal de Torres Vedras (edição comemorativa do Dia Nacional da Criança) Mais Info Comprar
H13 - Torres Vedras Antiga e Medieval
H13 - Torres Vedras Antiga e Medieval C. M. Torres Vedras Um trabalho de investigação, procurando (re)interpretar 40 temas sobre o território e a história torrienses, das origens ao século XV. Outra visão da história de Torres Vedras na procura das raízes da sua identidade, lembrando que a História não é definitiva, porque estando sujeita ao tempo, torna-se ela própria passado, objecto de compreensão. E também não é a realidade, mas o convite à sua descoberta, o meio, a ponte entre o sujeito e a realidade. Autor: Carlos Guardado da Silva Data de edição: Dezembro 2008 Mais Info Comprar

Serviços Adicionais

Veja ainda: